Gestão financeira empresarial: 7 erros que você não deve cometer

16 de março de 2016

A gestão financeira empresarial é tão importante quanto a atuação e prestação de serviços.

Por isso, é importante estar sempre atento às questões tributárias e contábeis de um negócio.

Dominar o conhecimento sobre uma atividade não é o bastante quando não se tem total domínio das finanças de um empreendimento.

Tomemos um exemplo:

apesar de contar com dois funcionários de confiança, o empresário João precisa se dedicar às burocracias e labirintos contábeis de sua pequena empresa, limitando seu já reduzido tempo para se dedicar a questões estratégicas do seu negócio.

O caso acima se aplica a uma grande parcela dos empresários brasileiros, que precisam atuar em diversas áreas de seu negócio.

Esse esforço deve ser compensado com o crescimento constante dos negócios, mas isso exige vigilância constante, para que não se cometam erros que prejudiquem as atividades.

Conheça as principais armadilhas que podem colocar em risco a sua gestão financeira empresarial.

1) Não determinar os limites entre finanças pessoais e empresariais

Para não cair na tentação de misturar as finanças pessoais e jurídicas, é preciso estabelecer um pró-labore (controle em que se registram valores retirados pelos sócios de uma empresa) para que sejam anotados os saques mensais. Além disso, é importante registrar os investimentos e realizar o reembolso de despesas que foram pagas com recursos pessoais.

2) Não prever os recursos do fluxo de caixa

Para manter o controle financeiro da empresa, é preciso antecipar os gastos dos próximos meses, além das receitas que serão obtidas. Assim, o empresário poderá planejar, em longo prazo, os investimentos possíveis na empresa.

3) Não ter domínio sobre o que há no estoque

O controle sobre os produtos em estoque determina os preços dos produtos à venda, pois é preciso saber a data de validade, a quantidade de cada item, entre outros aspectos. Além disso, é preciso levar em conta o espaço disponível para novos produtos, o que ajuda a determinar andamento das operações dentro da empresa.
Esse domínio pode minimizar os custos de armazenagem e otimizar as compras.

4) Não planejar as finanças da empresa

Estimar o potencial da empresa e comparar com o que foi realizado faz parte do aprendizado de sócios e funcionários. Para isso, é preciso planejar os rumos que o negócio deverá seguir, e esse planejamento servirá de guia para o sucesso da instituição.

5) Não saber o valor de mercado da empresa

Acompanhar a variação do valor do empreendimento pode dar uma noção sobre seu sucesso, estagnação ou fracasso. Essa medida serve para guiar os envolvidos, para que mantenham suas ações ou corrijam seus erros.

6) Não reinvestir o lucro

Otimizar os lucros e investi-los na própria empresa é uma forma de evitar que ela fique obsoleta. Móveis novos, maquinário mais moderno, além da inovação constante dos itens, são aspectos necessários para o bom andamento das operações.

7) Vender produtos com preços errados

Estudar a precificação dos produtos é tão importante quanto produzi-los.

Colocar os preços acima do que valem os itens pode afastar os consumidores e deixar os estoques em alta.

Do contrário, colocar abaixo do preço real pode estimular os consumidores a acreditarem que aquele produto é inferior, podendo ainda levar a empresa à falência.

Portanto, cuidado!

Gostou do post? Curta então nossa página no Facebook e acompanhe de perto o conteúdo postado por aqui.
Previsa - Baixe nosso eBook: Guia do Sucesso para Abertura de EmpresasFale com a Previsa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *