TELECOM: O que é um provedor de internet e quanto custa montar um?

6 de outubro de 2020Quanto custa montar um provedor

Quando a gente navega pela internet nem se dá conta de todo o processo tecnológico que acontece em um provedor de internet até abrir uma página. Aliás, com o surgimento das conexões em alta velocidade, feitas a partir de fibra óptica, não dá tempo para pensar nisso. Um clique e já estamos entretidos em algum site.

Mas, para a mágica acontecer e termos um mundo de informações na nossa tela, é necessário ter, obviamente, acesso à rede. E não conseguiríamos isso sem os provedores de internet, responsáveis por disponibilizar sinal para nossos computadores, tablets, smartphones, televisores, entre tanto outros artefatos tecnológicos.

O que é um provedor de internet

O conceito é fácil. Provedor de internet, ou Internet Service Provider (ISP), como o próprio nome indica, é o intermediador, que faz com que a internet chegue até nossos dispositivos. Isso é feito por meio da autenticação do usuário.

Com a evolução tecnológica, muitos os provedores de internet tiveram que diversificar a oferta de produtos. Hoje é possível adquirir diversos serviços, como servidor de e-mail, hospedagem de site, armazenamento em nuvem, mecanismo de busca, portal de notícias, entre outros.

Os provedores mais conhecidos atualmente são:

  • Vivo
  • Claro
  • Tim
  • Net Virtua
  • Brasil Telecom

Apesar do mercado ser dominado pelas operadoras de grande porte, são os chamados provedores regionais que detêm maior fatia do mercado. Segundo a Anatel, eles concentram 65% de todos os acessos à internet no Brasil.

Os provedores regionais atendem, principalmente, bairros periféricos, cidades do interior e zona rural, onde os líderes de mercado não chegam. Alguns exemplos nacionais são:

  • Pronto Net (Pará)
  • R7 Telecom (Minas Gerais)
  • Logtel Telecom (Brasília)
  • Enter IW (Paraíba)
  • Sercomtel (Paraná)
  • Viamarte Telecom (Rio de Janeiro)
  • Alfa Telecom (Amazonas)
  • Vmax Telecom (São Paulo)

É um negócio promissor, que tem atraído cada vez mais clientes, inclusive nos grandes centros urbanos. Se o sino do empreendedorismo tocou ai, continue conosco. Vamos mostrar nesse artigo o custo médio para montar seu próprio provedor.

Antes, vamos com um pouco de história.

A evolução dos provedores

Quem tem a partir de 30 anos deve lembrar da internet discada, que demorava para conectar e perdia o sinal sempre que alguém ligava para o número do telefone fixo. Para os mais jovens, vamos explicar como isso funcionava.

Nos anos 1990, para navegar pelos sites era preciso ter uma linha telefônica. Para acessar, era necessário plugar o cabo do telefone em um modem e, dele, conectar outro cabo para o computador. Depois, bastava abrir o software do discador e, praticamente, fazer uma ligação para o provedor de internet. Sim, a decodificação que liberava o acesso era feita por áudio.

Após algumas tentativas, o sinal era estabelecido e você podia, em baixíssima velocidade, visitar sites e portais. Para efeito de comparação, hoje navegamos, em média, com 17,80 Mb/s. A internet discada chegava somente a 56Kb/s de velocidade.

Existiam provedores gratuitos, a maioria instável e com propagandas, e os pagos, na qual o usuário tinha um pouco mais de velocidade e estabilidade na conexão. Alguns provedores ficaram famosos e era possível instalar os discadores por meio de CD’s. Entre eles estavam:

  • UOL
  • IG
  • POP
  • Click21
  • AOL
  • iBest

Como era conectado diretamente no telefone fixo, bastava alguém ligar para seu número ou tirar o aparelho do gancho que a internet caia. O jeito era esperar a ligação acabar para iniciar todo o processo novamente, o que poderia demorar horas. O custo dessa internet? Mesmo valor cobrado por minuto em uma ligação para outro telefone fixo. Ou seja, passar o dia conectado não era uma opção.

Por esse motivo, muitos elegeram a madrugada como melhor horário para navegar, já que não tinham muitas pessoas acessando ao mesmo tempo, dificilmente recebiam chamadas e a tarifa correspondia a um minuto de ligação por conexão.

A partir dos anos 2000, os brasileiros começaram a ter acesso à internet banda larga. Já não era mais necessário conectar o telefone, mas ainda precisava ter uma linha fixa. Isso ocorria por que as operadoras foram autorizadas a comercializar o sinal de internet, passando a realizar em seus sistemas a autenticação do usuário para que pudesse conectar.

Quanto custa ter o próprio provedor

Agora que já aguçamos a sua curiosidade, vamos ao ponto chave do artigo: quanto é preciso investir para ter um provedor de internet?

Se seu interesse é aumentar o acesso da população à internet, assim como os provedores regionais, adiantamos que você precisará ter um bom capital inicial para conseguir as autorizações e equipamento.

Para ter direito a oferecer sinal de internet legalmente, você precisa solicitar uma licença chamada Serviço de Comunicação Multimídia (SCM) para a Anatel. Inclusive, isso só é possível se for pedido por pessoa jurídica. Ou seja, é necessário já ter um CNPJ ativo para requerer.

Caso você pretenda comercializar a conexão para mais de 5 mil assinantes, a taxa é de R$ 400, paga uma única vez, e a licença SCM é obrigatória. Se tiver menos clientes a taxa não é cobrada, a licença se torna opcional, mas só é válida para conexões via cabeamento e radiação. Ainda assim, o responsável deve comunicar à Anatel a prestação de serviço.

Internet de qualidade é sinônimo de boa infraestrutura, seja de fibra óptica, rádio ou telefone. Para fidelizar os clientes é preciso investir em bons equipamentos para atender a todos com qualidade e, claro, estabilidade. O custo total dos aparatos vai depender do tipo de sinal que irá oferecer, a quantidade de clientes e até a distância entre eles.

Quanto à tributação, os provedores devem contribuir com o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicação (Fust), cuja alíquota é de 1% da receita bruta.

Empreender com provedor de internet exige planejamento. Se essa é a sua vontade, comece a colocar sua ideia no papel, pesquisar as melhores regiões para instalar a estrutura e estude os tipos de conexões podem ser viáveis para o seu negócio.

Se precisar de ajudar, conte com nossa equipe de especialistas!

Quer saber sobre Contabilidade para provedores de internet

Ainda não possui uma contabilidade para provedor de internet? Tudo bem! Que tal entrar em contato com a gente? A Equipe Previsa terá um imenso prazer em receber você e sua associação. Ficamos te esperando!

Como trocar de contabilidade passo a passo

Sobre a PREVISA CONTABILIDADE

Criada há mais de 40 anos, a PREVISA CONTABILIDADE tem como objetivo assessorar os clientes em todas as áreas de seu negócio. Para tanto, a empresa atende segmentos específicos de mercado, além de negócios de diferentes tamanhos. Uma das características da Previsa é seu atendimento com excelência de contabilidade para empresas de tecnologia.

 

Fale com a Previsa

Entre em contato já! Podemos ajudar você hoje!

Solicite uma consultoria e descubra o caminho mais seguro, econômico e rápido para o que você precisa no momento:

www.previsa.com.br   +  31 3244-3100  Whatsapp: + 31 99954-0537

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *