Contabilidade: como calcular a Depreciação de equipamentos médicos?

26 de fevereiro de 2020 Contabilidade para empresas de equipamentos médicos
Compartilhe

Contabilidade: como calcular a Depreciação de equipamentos médicos?

Analisando a contabilidade para empresas de equipamentos médicos, “depreciação” é um termo que se refere à perda de valor de um bem decorrente de seu uso, do desgaste natural ou de sua obsolescência. Na contabilidade das empresas, essa depreciação é registrada como um percentual do valor contábil do bem que é descontado ao longo do tempo, de acordo com sua expectativa de vida útil.

Com foco, exclusivamente, em equipamentos médicos (uma vez que já sabemos sobre a carga tributária reduzida sobre esses equipamentos e o boom no mercado brasileiro em decorrência disso. – Para saber mais, clique aqui!), hoje, vamos conversar um pouco sobre a questão da depreciação de tais equipamentos.

Interessado? Então, continue com a equipe Previsa separando alguns minutos em sua agenda para o presente artigo!

Contabilidade descomplicada para empresas de equipamentos médicos

Pensando em todo nosso know how contábil, compreendemos que, uma questão que pode ser muito complexa na contabilidade, é o linguajar empregado para explicar. Conversas baseadas em termos mais técnicos e linguagens que, talvez, se você não é da área contábil, pode se ver perdido e com um tanto quanto de dificuldade em compreender questões que, de certa forma, não deveriam ser tão complexas assim.

Sendo assim, vamos começar a nossa conversa com a nossa seguinte “verdade absoluta”: O ÓBVIO É PARTICULAR! Dito isso, vamos retomar o primeiro parágrafo pensando que, talvez, não foi um parágrafo muito fácil de entender, certo?

Vamos tentar reestruturar para você: DEPRECIAÇÃO…

O que é? Onde vive? De que se alimenta a Depreciação?

Para nós, da contabilidade, trata-se de um termo muito comum e que auxilia muitíssimo os investidores a administrar melhor seus negócios – além de tornar possível um melhor controle de custos e gerenciamento de possíveis riscos.

De uma forma simples, a depreciação nada mais é que uma parte do valor que um bem (no nosso caso, de um equipamento médico – qualquer que seja) vai ter reduzido, por causa do uso. Sendo assim, quanto maior é tempo, a sua valorização oscila de diversas maneiras, conforme o método utilizado.

Um fato que a gente precisa ter em mente é que muitas coisas podem fazer um equipamento depreciar, além do desgaste em decorrência do tempo de uso: como a obsolescência.

Isso mesmo: obsolescência…

Sabe aquele equipamento que você investiu um valor X para a sua clínica e, passado um tempo, ficou ultrapassado? Isso, meu caro, é obsolescência. Atualmente, a obsolescência pode acontecer em um período relativamente curto, considerando que a tecnologia evolui muito rapidamente ― antes, a obsolescência de um equipamento podia ocorrer somente depois de uma ou mais décadas.

No caso da área médica, é importante que as empresas de saúde tenham uma reserva contábil para lidar com a depreciação de seus equipamentos, de modo a não serem surpreendidas diante da necessidade da substituição. Mas, como calcular isso?

Os cálculos da depreciação de equipamentos médicos devem ser feitos com base nas diretrizes impostas pelo governo por meio da Receita Federal. Ou seja, você precisará de um auxílio de seu contador para empresa de equipamentos médicos para fazer todos os cálculos sem riscos de pequenas e possíveis falhas.

Começando a entender valores a serem tributados

Apesar de ter a depreciação inserida na contabilidade de uma empresa de saúde não ser algo obrigatório, é importante saber que ela ajuda a diminuir os valores a serem tributados.

De forma prática, quanto mais desvalorizado um equipamento estiver dentro da sua clínica, menos impostos você pagará sobre ele. Para ficar tranquilo de entender essa situação, basta você pensar nos carros que já teve e nos IPVAs que já pagou por eles: quanto mais antigo e depreciado era o seu veículo, mais o imposto sobre ele ficava menor ou até mesmo nulo.

Simples de acompanhar, certo?

O cálculo em si é ainda mais simples

O processo tem como início uma lista que você vai fazer de todos os equipamentos, ferramentas e máquinas da sua clínica e anotando seus respectivos valores de compra. É muito importante que esse procedimento envolva todos os bens do seu negócio.

Após, acrescente a vida útil de cada item de acordo com os dados da Receita Federal. No caso, são:

  • 25 anos para imóveis;
  • 10 anos para máquinas, móveis e utensílios;
  • 5 anos para veículos;
  • 5 anos para computadores e periféricos.

Divida o valor de cada item pelo seu respectivo tempo de vida útil em número de anos e divida o resultado por 12. Assim, você terá a apuração da depreciação mensal.

Banner Ebook Medico

Sua pergunta, agora, deve ser: “Ok, equipe Previsa! Mas, como esses números podem ser úteis?”

Estimativas de retorno sobre o valor investido

Simples também, meu caro, se sua clínica for de radiologia, por exemplo, você conseguirá fazer uma estimativa mais assertiva sobre o lucro sobre cada um de seus equipamentos e, por meio disso, se programar para as possíveis substituições.

Organização é algo que ainda vai dominar o mundo moderno!

Sabendo quantos pacientes tem e fazendo uma estimativa de quantos exames serão realizados por mês por cada equipamento, você poderá definir os custos para cada exame (tanto os custos fixos, quanto as variáveis) e calcular o valor bruto obtido.

Dessa forma, multiplica-se o lucro bruto pelo número de exames realizados por mês. Assim, é obtido o valor total do lucro mensal, o que permitirá a você estimar com maior precisão e segurança a substituição do aparelho em função da depreciação deste nessa situação em específico.

Outra dica importante para fazer o cálculo da depreciação de equipamentos médicos é saber que, com 1 ano de uso, o aparelho, se for vendido, deverá ter um deságio de 10% do valor de sua compra.

Importante você ter mais uma informação em mente

Então… É importante você ter mais uma informação em mente, que, torna-se lógica ao pensar no cálculo que ensinamos aqui: quanto mais caro o investimento em um equipamento, maior será sua depreciação. Sendo assim, os equipamentos de sua clínica em que você investiu mais, são os que possuem maior taxa de depreciação.

Um outro detalhe é que essa taxa é válida apenas para equipamentos que você realmente comprou (aluguéis, empréstimos etc não entram na depreciação).

Já se sente preparado para se organizar por aí? Em caso de dúvidas, entre em contato com a gente!

Saiba mais:

Empresas de Tecnologia: Gerenciando Riscos e Promovendo o Crescimento

Quer ter diferenciais de mercado? Entenda nos vídeos a seguir:

Ainda não possui uma contabilidade para empresa de equipamentos médicos? Tudo bem! Que tal entrar em contato com a gente? A Equipe Previsa terá um imenso prazer em receber você e sua associação. Ficamos te esperando!

Como trocar de contabilidade passo a passo

Sobre a PREVISA CONTABILIDADE

Criada há mais de 40 anos, a PREVISA CONTABILIDADE tem como objetivo assessorar os clientes em todas as áreas de seu negócio. Para tanto, a empresa atende segmentos específicos de mercado, além de negócios de diferentes tamanhos. Uma das características da Previsa é seu atendimento com excelência de contabilidade para empresas de tecnologia.

 

Fale com a Previsa

Entre em contato já! Podemos ajudar você hoje!

Solicite uma consultoria e descubra o caminho mais seguro, econômico e rápido para o que você precisa no momento:

www.previsa.com.br   +  31 3244-3100  WhatsApp  31 97196-0369

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *