Meritocracia: como implantar em minha empresa?

25 de fevereiro de 2019Meritocracia

Meritocracia: como implantar em minha empresa?

“Atualmente, notamos uma competitividade no mercado de trabalho gigantesca, clientes extremamente exigentes (tanto no que se refere a produtos quanto aos serviços prestados). Isso é uma parte muito importante para pensar no que tange a minha empresa. Além disso, podemos inserir a instabilidade financeira e econômica que o país vem enfrentando no decorrer dos anos (o que acaba levando grandes organizações a situações de risco). ”

Essas são preocupações que atormentam suas noites de sono? No presente artigo, abordaremos um pouco sobre um tema que pode ajudar (e muito) sua empresa.

Primeiramente, é importante ter em mente que sua organização, para ser bem-sucedida no atual mercado, você precisará entregar excelentes resultados e precisa montar uma equipe composta por bons colaboradores (que tornarão tais resultados viáveis).

Existem muitas formas adotadas por inúmeras empresas para avaliar os colaboradores que constituem a equipe e com foco em alcançar os objetivos. E, hoje, vamos focar em uma dessas formas: a meritocracia.

Mas, antes de mais nada, você sabe o que é meritocracia?

Meritocracia é um modelo de gestão que consiste na avaliação dos colaboradores com base em suas aptidões, cumprimento de metas e prazos, além de resultados de acordo com o esperado (ou superior a isso). Os funcionários que alcançam o esperado (ou superam) são contemplados com posições hierárquicas ou outras recompensas, que vão desde brindes e folgas, até bolsas de estudos, aumento de salário, promoção ou participação nos lucros. Bem bacana, não é?

Através dessa política, você pode sempre acompanhar a evolução de quem trabalha em sua organização. O objetivo da meritocracia não é, e nunca será, forçar o funcionário a ir além do que o mesmo consegue, mas, sim, valorizar e conservar aqueles que estejam de fato empenhados em garantir o crescimento constante da sua empresa.

Com o passar dos anos, a meritocracia passou a ser uma das formas mais eficazes de avaliação e ajuste de posições nas empresas. Para diversos gestores, essa seria a forma mais justa, uma vez que traz benefícios exatamente para quem trabalha com mais afinco, tornando a vida da organização mais “tranquila” ao entregar os resultados esperados (e solicitados) de forma organizada e dentro dos prazos. Colaboradores assim beneficiam a empresa.

Meritocracia não é plano de carreiras

Aqui, gostaríamos de ressaltar que a meritocracia não é um plano de carreira. Apesar de muitos gestores confundirem um pouco os conceitos, são duas coisas completamente distintas. O plano de carreira comum (que delimita o caminho a ser percorrido pelo funcionário na empresa) está, de certa forma, em desuso pela grande maioria dos empresários. Isso acontece em decorrência da dificuldade em que os colaboradores veem em se manter por longa data em uma única empresa. A modernidade trouxe essa característica para o mercado de trabalho!

Na meritocracia, isso não se faz necessário. Trabalhar por longo tempo para alcançar ajustes de profissões torna-se coisa do passado, uma vez que, aqui, o mais importante é motivar o profissional a estabelecer metas e cumprir as mesmas (para alcançar suas bonificações). Dessa forma, o colaborador se sente mais inclinado a atingir os objetivos para si próprio e para a empresa.

Há vantagens?

Sim! Há diversas vantagens. Vamos listas algumas aqui:

  • Valorização do desenvolvimento dos funcionários;
  • Redefinição das responsabilidades de uma melhor forma, não sobrecarregando nenhum colaborador;
  • Feedbacks assertivos, visando os pontos a serem “melhorados” por parte do colaborador;
  • Posições e planos de carreira bem elaborados, visando as aptidões do colaborador;
  • Motivação para que os profissionais trabalhem em equipe;
  • Possibilidade de inserir os próprios profissionais da empresa nas vagas em aberto que por ventura surgirem;

E, por último, mas, não menos importante:

  • Com o colaborador satisfeito com o trabalho na empresa, o negócio passa a ser bem visto pelos clientes e futuros colaboradores.

Pois bem, mesmo evidenciando tantos pontos positivos, é de suma importância ter em mente que, para que a meritocracia seja eficaz, é dever do RH organizar um programa de ações que envolvam esse método. A meritocracia também pode gerar esperanças inatingíveis e comparações, além da probabilidade do estímulo ao egocentrismo e à competitividade negativa. Nenhum desses pontos é positivo para sua empresa, logo, é necessário um planejamento focado às políticas da empresa, seus valores e suas metas futuras.

O processo de avaliação deve ser formal. A pessoa que você designar para aplicação fica, também, responsável por apontar ao colaborador seus pontos de melhoria e se manter informado sobre o desenvolvimento de todas as equipes da sua empresa. Para aqueles que receberem feedbacks negativos, também é indispensável oferecer um treinamento (visando a melhoria dos pontos a serem trabalhados).

Pensando no profissional de sua empresa, para que a meritocracia seja algo que agregue valor ao seu trabalho, é importante esclarecer todas as dúvidas, alinhar o que a sua empresa deseja do colaborador fará com que ele compreenda o seu papel em todo o mecanismo. Deixe claro que trabalhar com outras pessoas não é sinônimo de competitividade, mas sim de aprendizado e troca de experiências. Lembre-se de um ponto muito importante: é necessário focar em um ambiente cooperativo e, para isso, é interessante ter atenção não somente nos méritos individuais. É preciso trabalhar atividades em grupo que melhorem a relação entre as pessoas, fortificando a equipe.

Como recompensar?

Existem diversas formas de recompensar sua equipe. Mas, listamos algumas que podem guiar seus pensamentos:

  1. Cargos – diversos profissionais têm mente o desejo de crescer na empresa. Para promover um membro da equipe, é importante que a organização acompanhe o trabalho desse candidato em várias perspectivas. Por exemplo, em suas metas, prazos, entregas, capacidade de trabalhar em equipe, criatividade e potencial de inovação.
  2. Salários/prêmios – aumentar salários gradualmente e dar prêmios a medida de que metas e objetivos são alcançados são recompensas comumente utilizadas para reconhecer o trabalho e esforços de um funcionário.
  3. Remuneração variável – participação nos lucros, batimento de metas e comissões por vendas também são boas alternativas para valorizar o desempenho dos colaboradores, agindo como um bônus ao salário mensal.

Em resumo, a meritocracia tem muito a trazer à sua empresa. Que tal experimentar?

 

Fale com a Previsa

Entre em contato já! Podemos ajudar você hoje!

Solicite uma consultoria e descubra o caminho mais seguro, econômico e rápido para o que você precisa no momento:

www.previsa.com.br   +  31 3244-3100  Whatsapp: + 31 99967-7662

 

Solicite um orçamento

Quer saber mais?

Baixe o Guia do eSocial Previsa clicando acima no banner ou aqui: https://materiais.previsa.com.br/guia-efd-reinf

 

ebook EFD-REINF

Baixe o Guia do eSocial Previsa clicando acima no banner ou aqui: https://materiais.previsa.com.br/guia-esocial

 

Baixe o guia do eSocial Previsa

Se tiver alguma dúvida, deixe aqui o seu comentário ou entre em contato conosco por meio do site: http://previsa.com.br/contato

Siga-nos também nas redes sociais e inscreva-se no nosso canal para ficar por dentro de todas as novidades do universo da contabilidade.

Facebook: https://www.facebook.com/previsacontabilidade
Twitter: https://twitter.com/previsa
Youtube – Descomplica Previsa: https://goo.gl/zepzly
Blog: http://previsa.com.br/blog

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *