Capital de giro: entenda o que é e como administrá-lo

8 de junho de 2016

Nós que somos de uma Empresa de Contabilidade com quase 40 anos de mercado e que temos experiência com uma variedade enorme de negócios indicamos que, desde as indústrias até a prestação de serviços, ter um capital de giro bem administrado é fundamental para a longevidade das atividades operacionais.

A falta de conhecimento e a má gestão do capital de giro podem significar problemas financeiros futuros e dificuldades na continuidade operacional.

Vamos ver o que é o capital de giro e as maneiras de administrá-lo da forma mais eficaz possível?

O que é capital de giro?

Em termos conceituais, o capital de giro é a parcela dos recursos aplicados em um negócio que não está imobilizada em móveis, máquinas ou equipamentos, por exemplo. É a parcela do capital disponível para investimentos em uma empresa que tem o objetivo principal de cobrir os gastos necessários para a continuidade operacional.

Ele é composto pelos valores de caixa e pelos equivalentes-caixa, que são os saldos de conta correntes a vista e outros direitos que não dependam de terceiros, além dos valores a receber de clientes e dos estoques de mercadorias ou de produtos para revenda futura. Se pensarmos em estrutura patrimonial, o capital de giro será representado pelo Ativo Circulante de uma entidade, considerando apenas os aspectos de curto prazo dela.

Como devo administrar o capital de giro da melhor maneira?

Em primeiro lugar, é preciso entender e controlar as operações que impactam em maior ou menor demanda por capital de giro. Vamos listar abaixo alguns exemplos destas operações:

Prazo médio de recebimento das vendas

Quanto menor for o prazo médio de recebimento, menor é a demanda por capital de giro. Portanto, como parte da estratégia comercial e promoção de vendas, é preciso privilegiar as vendas a vista ou de curto prazo.

Prazo médio de pagamento dos fornecedores

Quanto maior for o prazo médio de pagamento, menor será a demanda de capital de giro. Os parcelamentos sem cobrança de juros contribuem positivamente para este raciocínio. A ideia é poder realizar a venda antes do vencimento da fatura do fornecedor.

Estoques

É preciso compreender de uma vez por todas que todo estoque representa capital estacionado. Por isso, os estoques precisam ser bastante enxutos. Neste sentido, é importante selecionar fornecedores que tenham rapidez na entrega, sem impacto relevante dos preços praticados frente ao mercado. Além disso, é preciso ter disciplina de avaliar os estoques e fazer pedidos com menor periodicidade.

Fluxo de contas a receber x contas a pagar

Caso o seu negócio tenha um maior fluxo de recebimento em determinada época do mês, aconselha-se que você negocie os vencimentos das suas contas para datas mais favoráveis, após o seu período de recebimento. Desta forma a sua empresa terá uma menor demanda por capital de giro.

Depois de avaliadas estas alternativas, é preciso estipular o valor do capital de giro e garantir que ele esteja disponível no caixa e contas bancárias.

Muitas empresas preferem trabalhar com a alternativa de se manter um fundo fixo, assegurando que um determinado montante esteja disponível no período de maior disponibilidade de recursos. A medida que as operações acontecem, este recurso é parcialmente consumido e deve ser reposto tão logo os recebimentos aconteçam.

É muito importante ressaltar que muitos empresários pensam estar distribuindo lucros, enquanto na verdade estão retirando o capital de giro necessário às atividades operacionais. Por isso é importante controlar a lucratividade do negócio, sem desprezar a parcela do capital que deve se manter na empresa, para garantir a sua continuidade.

Quais são os benefícios de uma boa administração do capital de giro?

Como empresa de contabilidade acreditamos em uma melhor adequação de prazos praticados, políticas de benefícios a funcionários, redesenhos produtivos, etc. Tudo tem ligação com o capital de giro. Não basta apenas verificar o caixa de maneira periódica, é preciso gerar informações mais eficientes, tais como relatórios e gráficos, os quais possam ser compreendidos mais facilmente pelos funcionários, indicando, por exemplo, um período de sazonalidade e maior necessidade de recursos para a produção. Estes direcionamentos só poderão ser obtidos como consequência de uma boa administração do capital de giro.

Por mais interessante que uma proposta de serviço, produto ou mercadoria possa parecer ao cliente, ela apenas se sustentará se houver boa administração financeira da empresa que o fornece. Por essa razão, o capital de giro é considerado como o pulmão de uma empresa, pois fornece o fôlego necessário para as operações continuarem no longo prazo.

Se você quiser saber mais informações sobre o assuntos gerenciais e ficar por dentro desta e de outras técnicas, entre em contato com a empresa de contabilidade ou acesse nosso blog!

Previsa - Baixe nosso eBook: Guia do Sucesso para Abertura de EmpresasFale com a Previsa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *